segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Ganso-bravo (Anser anser)


Uns gansos que devem estar acostumados á presença humana, deu para tirar estas boas fotos deles.

Galeirão-comum (Fulica atra)

Um galeirão solitário que se alimentava numa lagoa perto da Figueira da Foz.

Armazém de Sal



Na Figueira da Foz encontramos estes armazéns de sal, alguns ainda em bom estado, outros completamente degradados.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Fuinha-dos-juncos (Cisticola juncidis)


Trata-se de uma ave que não é muito comum em Proença-a-Nova, espero alguma vez conseguir melhores fotos.

Gaivota-de-patas-amarelas (Larus michaelis)


Ainda são umas gaivotas que fotografei nas berlengas, esta última parou tão perto que deu para o retrato.

Pardal-comum (Passer domesticus)

Esta foto é da minha amiga Ana Mendes, fotografou estes pardalitos na Suíça, parece que vão fazer uma prova de natação.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Rabirruivo-preto (Phoenicurus ochruros)






Algumas fotos de Rabirruivos que fui juntando, o primeiro é um macho, as seguintes são fêmeas.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Andorinha-dáurica (Hirundo daurica)


Estas andorinhas estavam a preparar-se para migrar para outras paragens, tive a sorte de conseguir algumas fotos desde a minha casa.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Lagar I






Quando a azeitona chega ao lagar, é moida nas "galgas" da 1ª foto, resulta daí uma pasta que é colocada entre uma espécie de tapetes chamados "ceiras", é empilhado e colocado num carrinho que é levado para uma prensa hidraúlica apoiada por um compressor a vapor.

Lagar II









A massa da azeitona é prensada e decantada até o azeite sair puro.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Mocho-galego (Athene noctua)

Esta ave ficou a olhar para o carro e ver o que estariamos a fazer, felizmente para nós que pudemos fotografa-la.

Cotovia-de-poupa (Galerida cristata)

Esta cotovia estava por ali a alimentar-se e nem se preocupou muito conosco dentro de um carro a fotografa-la.

Estorninho-preto (Sturnus unicolor)

Encontram-se facilmente pousados nos fios, e andam geralmente em bandos.

Borrelho-de-coleira-interrompida (Charadrius alexandrinus)

Alimentava-se sózinha perto da estrada de onde passavamos.